Não tem médium, e agora? – parte 6

Kardec enumera outras opções de estudo em um grupo espírita diante da impossibilidade da comunicação dos Espíritos por ocasião da escassez de médiunsEle recomenda:

2.º ─ Narrar os fatos de que se tem conhecimento, discuti-los, comentá-los, explicá-los pelas leis da Ciência Espírita; examinar-lhes a possibilidade ou a impossibilidade; ver o que encerram de provável ou de exagero; distinguir a imaginação da superstição, etc.

A Revista Espírita é um exemplo desse tipo de estudo. Como periódico mensal não era raro encontrar na Revista estudos a respeito de acontecimentos da época, estudos sobre aquilo que corria nos jornais. Fatos curiosos, notícias estranhas, acontecimentos tidos como sobrenaturais, crimes com motivações esquisitas, suicídios etc, tudo que podia ser analisado segundo a luz do Espiritismo era estudado com seriedade a fim que os leitores pudessem compreender o alcance dos estudos espíritas nos acontecimentos do dia a dia.

É verdade, que essas análises geralmente contavam com a participação dos Espíritos que davam sua contribuição sobre o assunto, mas Kardec chama a atenção para o fato de ser possível fazer isso mesmo quando os Espíritos não tenham a oportunidade de se comunicar. Vale dizer que filosofia espírita já estava suficientemente desenvolvida. Basta levarmos em consideração que a segunda edição de o  Livro dos Espíritos, que é a mais completa, já tinha sido lançada. Sem contar que o Livro dos Médiuns também já tinha sido publicado, ou seja, o que não faltava era base teórica para comentar, explicar e estudar os fatos dignos de atenção.

Tudo o que podia servir de base para o desenvolvimento da ciência espírita ganhava espaço na Revista Espírita. Vale listar alguns artigos para ilustrar como Kardec trabalhava, para cada artigo vou colocar abaixo como Kardec iniciativa seu texto:

Revista Espírita 1858 » Janeiro » Manifestações físicas;

“Lemos o seguinte no Le Spiritualiste de la Nouvelle-Orléans, de fevereiro de 1857 …”

Revista Espírita 1858 » Junho » Conversas familiares de além-túmulo » O suicida da Samaritana;

“Recentemente os jornais noticiaram o seguinte fato: “Ontem (7 de abril de 1858) …”

Revista Espírita 1858 » Outubro » Fenômenos de aparição;

“O Constitutionel e o Patrie transcreveram, há algum tempo, o fato seguinte, retirado de jornais dos Estados Unidos …”

Revista Espírita 1860 » Agosto » O trapeiro da rua de Noyers;

“Sob o título de Cenas de feitiçaria no século XIX, “Le Droit” relata o seguinte …”

Revista Espírita 1861 » Julho » Desenhos misteriosos;

“Sob este título, o Herald of Progress, de Nova Iorque, jornal consagrado a assuntos espiritualistas e dirigido por Andrew Jackson Davis, conta o seguinte …”

Revista Espírita 1862 » Julho » Duplo suicídio por amor e dever – Estudo moral

“No Opinion Nationale de 13 de junho lemos o seguinte …”

Revista Espírita 1866 » Fevereiro » O naufrágio do Borysthène;

“Sem dúvida a maioria dos nossos leitores leu nos jornais o comovente relato do naufrágio do Borysthène, na costa da Argélia, a l5 de dezembro de 1865. Extraímos a passagem seguinte do relato de um passageiro salvo do desastre, publicado no Siècle de 26 de janeiro …”

Revista Espírita 1868 » Outubro » Variedades » Belo exemplo de caridade evangélica;

“Um ato de caridade realizado pelo Dr. Ginet, cantoneiro de Saint-Julie-sous-Montmelas, é contado pelo Echo de Fourvière …”

Revista Espírita 1869 » Abril » A criança elétrica

“Vários jornais reproduziram o seguinte fato …”

Tá certo que eu só listei artigos que tratavam de notícias de jornais, mas existem muitos outros artigos com estudos sobre assuntos reportados pelos leitores, Kardec também publicava estudos e análises feitas por outras pessoas que pediam oportunidade de divulgação na Revista.

Kardec recomendava esse tipo de trabalho aos grupos espíritas que se sentiam sem ter o que fazer na falta de médiuns. Não preciso nem dizer que quando Kardec recomendava estudar esse tipo de coisa, a ideia não era transformar a reunião espírita num círculo de fofoca ou especulação sensacionalista. Os espíritas já tinham um modelo a seguir pelo próprio exemplo de trabalho que Kardec fazia. Afinal, não podemos nos esquecer que a Revista Espírita era um jornal de estudos psicológicos. Continua…